Views

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Friends

Existem pessoas que são passageiras e realmente não valem nada, mas apenas o momento. Aquelas de quando se sai na rua a procura do que fazer em uma cidade pacata de interior como a minha, na qual não existe saída a não ser socializar até com o cachorrinho da parada de ônibus, ou então Punks loucões que vendem mini guitarrinhas artesanais, tentando te persuadir para conseguir um dinheirinho para tragar uma garrafinha de cachaça no finalzinho da madrugada. Tem outras pessoas que tu conheces de um jeito inusitado, que tu não esperas que vão representar uma grande amizade ou uma eventual companhia e no final se tornam grandes parcerias para a noitada e momentos de humor em períodos determinantes da tua vida. Tem aquela amizade de infância que tu levas em todos os momentos e compartilhas várias bobagens. Aquela que tu falas sobre pokemon, card games, rpg, filmes e rock em geral. Que prega até mesmo ideologias de vida, como tambem filosofias do tipo: adolescente tem que saber se encaixar de tal forma ou de outra., tentando achar seu lugar adequado. Mas além dessa tem aquelas que tu fazes no meio do percurso: no ensino médio, durante o trabalho, na vida cotidiana que tanto, por muitas vezes, odiamos e tratamos com estupor por sua monotonia. Essa amizade é sincera e fala sobre: realmente não importo sobre qualquer coisa que eu falar, mas se quiser pode ser meu amigo. Essa amizade é de verdade universal, é carregada pela vida e nunca se afastará em nenhum momento, ou se quebrará porque nela se encontra a verdadeira essencia da amizade: como um irmão ou irmã, ou pai e mãe. Às vezes odiamos essas pessoas, porque acham que são donos da verdade, ou mantem-se inflexiveis quanto a tudo que se fala. Mas não. São as pessoas que irão te fazer crescer, justamente por manterem-se céticos e com suas próprias crenças, aceitando quem realmente é/são: o amigo/ os amigos. Eles são diferentes e iguais, são a rejeição e o abrigo.

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Nostalgia de nada

Primavera se foi,
E com ela meu amor
Quem me dera poder consertar tudo que eu fiz
O perfume que andava com o vento pelo ar
Primavera soprando prum caminho mais feliz

Pois a rosa que se esconde no cabelo mais bonito:
é um grito, quase um mito, uma prova de amor.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Estranho

o que é estranho no final? estranho é a dor de não ter ou a dor de sentir vivo? sentir é querer algo e não saber se no final é possivel. a expectativa é a única ferramenta de dor que percorre o ciclo da vida. e a vida é tanatus; é a moira que nos conduz. no lo se o que hicistes para quedar te así tan malo... bom e mau. processos de quem sabe o que faz e que pensa no que quer. Na verdade no final apenas haverá uma simples palavra vagando no momento que se está jogado na cama e pensando no sofrimento da bizerra: isso é um emaranhado de complicações desnecessárias. simplificando isso consigo ver claramente: não é o que eu quero. vou te escrever um tchau! não é isso que tenho que ter para me sentir feliz, é muito mais. que estranho e diferente: do que adianta escrever coerentemente no coletivo e não expressar porra nenhuma de nada. falta é feeling e não gramática ou métrica e estrutura formal. dane-se TU, ELE, NÓS, VÓS e ELES. principalmente VOCÊ, ah só espero é que SE dane. Todo lugar tem seu tempo, toda pessoa tem seu tempo, todo segundo tem seu valor = entao pra que desperdiça-lo com isso. Natal da caldeira brasileira. Minha sombra me persegue e não sai de meu lado: 14:33

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Agora, nada de poemas!

Agora neste momento estou bebendo para esquecer da quantidade de provas que tenho pela frente!! Adooo-o-ro! Até mais pessoal!! Coração's place!

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Perfect Eyes

this is just a part of you, but now is also a part of me
these feelings are getting me insane
I hope it's not in vain...
I want to be with
I want to feel it.
Let go of me. Never. Stay.
Such a lovely game you play.
Not the hands, not the arms, not your face.
all the rest are part of my own skin
it consumes me... it drives me up the wall
it shakes the world that lies behind my eyes
i still fell the essence
i can feel the butterflies in my stomach once again
nervous i am not and never will be
i cant run away from you or me...
let's lay down next to the river or the sea...
would you like to see me breath?
sorrow is trying to fly away towards the rainbow
it's spreading wings into the sky of my fingertips
I pass my hands all over you face...
I hold you tight and smell your skin.
no!no. it cant be...
yes it is.. it's not a fight again.
not indeed.. come out...
come out... let go of me...
I wanna let you in!
this life is just the same with or without you...
but it's better taste the wine when it grew old.
meaningless are the words. meaningful is nothing.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Yesterday

Ver-te-ei morrer de risos, inabalável e trágico fim meu.
Esperar-te-ei de olhos abertos,
pronto para que procedas ao meu fim
Viestes novamente em meio ao caos de minha vida,
na tentativa de roubares aquilo que recuperei
Perseverante e esperançoso sempre serei.
Viver é sinonimo de sofrer, ah, isso eu já constatei.
Não sou poeta parnasiano não, sou maneirisista.
Na verdade sou aquilo que fica relativo
no mais moderno meio da pista.

Mas não sou de seguir moda, modista nunca serei.
Te liqüefaço em desgosto por mal ou por bem.

Vamos ver até onde
o anteontem vai me levar
como o vento leva o veleiro no mar.
As vezes rio no raso e ainda tenho medo de me afogar!

Então, o Sr. prepare as defesas para uma guerra começar
fique preparado quando nemesis atacar
será tua glória - de qualquer maneira sagaz
já que tentas mais uma vez em boas mão estar.

"you think too much" you said. Do you think so?

sábado, 12 de dezembro de 2009

Marcha Fúnebre

Quando o despertar do sol não for de grande valia para nós, estarei irremediavelmente afogado em trevas e princípios de enfermeridades pulmonares. Quando as fábricas e carros, elementos transcendentais, respirarem o melhor do seu ar vivificante... iremos maquinificar* este mundo. Em instantes de glórias e virtudes, só brilharão tuas viscissitudes, terás que matar o próximo (Outro) para te sentires confiante. Me mate primeiro. Quero partir de uma vez desse nicho de burrice que criastes, ó animal racional, tu és o único da cadeia trófica que mata a ti mesmo. Então, como numa corrente, vamos festejar nossa fúnebre marcha ao solo, junto aos vermes.

*transformar algo não-mecânico em algo mecânico,
marcado pela repetição sem reflexão.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Febre

A doença aproximou-se, pude senti-la arranhando minhas costas. Ainda que o sonifero tenha agido rapidamente em minha corrente sanguinea, durante os segundos que perduraram a agonia, minha pele fervia em fogo e brasa. Percebi por um momento que pude pensar em todos os problemas humanos durante esse período pré-morte: sustentei-te com a mais bela memória, enquanto os pixeis do teu rosto se desfaziam com a transição de pensamentos; senti-me bestificado ao te ver e angustiado ao te olhar sumir; me afoguei em uma piscina de textos logo depois; e conversei pelo que pareceu ser uma eternidade com Cunhambebe: me perguntava por fim, se eu poderia ser um tamoio, ou então um pacificador que entendesse a linguagem indigena e perós para evitar o massacre dos moradores das matas; podia ver-me tambem em um grande auditório capacitando os ouvintes a aprender a viver; vejo meus heróis insignificantes e os cegos ignorantes em estátuas - com muito orgulho - sendo carregados, passando numa esquina qualquer de Porto Alegre; posso ver uma biblioteca imensa em meu quarto contendo todos os livros sobre todos assuntos; sinto calafrios, sinto vontade... tenho vontade... de renascer acumulativamente; te amo, nunca odeio, só fervo, enfermo.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Dia de vida

"Oi, como vai? Tudo bem comigo. E contigo vai tudo bem? Pois bem, minha vida está cercada de desastres. Como assim? Outro dia sai pra rua e tive o previlégio de presenciar um acidente de motociclismo no qual o homem que dirigia morreu, outra vez sai para balada com intenção de me divertir e tive assistir a morte de um cachorrinho que sofreu um acidente de carro. Mas tenho que continuar a minha vida, sabe como é. Porque não pude ajudá-lo a tempo, já que ele demorou apenas uma fração de minutos até fechar os olhos. Tentamos ligar para o veterinário, mas ninguem nos atendia e quando conseguimos entrar em contato com um deles, nos tratou como retardados, afirmando que não podia se fazer nada por ele, motivo: eram 3 h e 30 da noite.
Ora bolas, mas agora os animais têm hora pra morrer? Que gente despreocupada com a vida. E ainda por cima um veterinário, um cara que tem que exercer um papel social a favor dos animais, da natureza; que tem que ter uma consciência, e até um ponto um afeto com eles. Mas não fica assim. Esse tipo de coisas acontecem e não podemos fazer nada, a gente tem que se sentir impotente mesmo. É verdade, mas agora, a única coisa que deves fazer é tentar seguir fazendo tuas coisas, sem deixar que isso interfira na tua vida, mesmo que sejam coisas horriveis mesmo cara.
Eu sei, mas é dificil esse tipo de situação. Às vezes eu tô legal, e ai de uma hora pra outra, me lembro dessas coisas. Mas que seja!
E ai, como foi tua prova esse final de semana? Sim, dizem que estava muito maçante. Ninguem que eu conheça se saiu bem. Todo mundo ficou com média 6, 7, 8. das 180 questões. Claro, eles querem fazer tudo isso em 5 horas, é impossivel. Sem condições. Tá então te ligo depois: beijo."

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

O fim da 'headache'

Me procure, me chame pelo nome que estarei te esperando.
Essa distância e dissolução,
me agarro as memórias enquanto surgem.
O sono traz a libertação e a esperança de um novo dia
acordando do sofrimento de estar sem você.
Eu me rendo a um outro momento, outra e-t-e-r-n-i-d-a-d-e.
Me procure por conforto, me chame por consolo
que estarei esperando pelo fim do coração partido.
Você me conhecer mais do que muito bem
Minha única vontade é desfazer as coisas que nos dividem.
No sofrimento grunho seu nome e minha voz reflete meu tormento...
Me procure por conforto, me chame por consolo
que estarei esperando pelo fim do coração partido.
Estou respirando? Minha força me falha...
Seu retrato, uma memória amarga.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Imediato, novo e diferente

Ao permitir a entrada franca e o esclarecimento da essência, existe um certo preconceito contra a inocência e a idade. O preconceito baseia-se em um pré julgamento sem qualquer aceitação do Outro. Uma visão préviamente construída pela imaginação, constituindo uma imagem deturpada da essência e do real. 'I could walk across the ocean as long as you walked along with me. You will see it's not too late.'O que pode ser dito é a não-palavra, digo, a atribuição de sentidos através da construção do discurso pode ser catastróficas para aqueles que não conseguem refletir, considerando apenas os dados a serem absorvidos pela experiência imediata. Sure.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Alive and Kicking

Live your best, use all your senses to feel it in every ways, discover its own taste.Enjoy every silly moment and smile always. If it has no meaning, at least you did sthg good at your life. We all die in vain, I'm quite sure about it. So, let's get nuts and do whatever (good crazy things, ok? don't go out killing ppl)comes to our head. Peace out!